Fundação para o Despertar da Mente (Awakening Mind )


Pagina Inicial

Publicações

Contato

Um Curso Em Milagres

Eventos

II. A Psicoterapia é uma Profissão?

Estritamente falando, a resposta é não. Como poderia uma profissão separada ser aquela na qual todos estão engajados? E como poder-se-ia colocar limites numa interação na qual cada um é tanto paciente quanto terapeuta em todos os relacionamentos nos quais entra? Contudo, falando em termos práticos, ainda pode ser dito que existem aqueles que se devotam primariamente à cura de uma forma ou de outra como sua função principal. E é para eles que um número grande de pessoas se volta em busca de ajuda. Isso, com efeito, é a prática da terapia. Esses são, portanto, curadores ‘oficialmente’. São devotados à certos tipos de necessidades em suas atividades profissionais, apesar de poderem ser professores muito mais capazes fora delas. Essas pessoas não precisam de regras especiais, é claro, mas podem ser chamadas a usar aplicações especiais dos princípios gerais da cura.

Em primeiro lugar, o terapeuta profissional está numa posição excelente para demonstrar que não há nenhuma hierarquia de dificuldades na cura. Para isso, contudo, ele precisa de um treinamento especial, porque o currículo pelo qual veio a ser um terapeuta provavelmente ensinou-lhe pouco ou nada sobre os princípios reais da cura. De fato, provavelmente ensinou-lhe como fazer com que a cura seja impossível. A maior parte dos ensinamentos do mundo segue um currículo sobre o julgamento, com o objetivo de fazer do terapeuta um juiz.
Até isso o Espírito Santo pode usar, e usará, se Lhe for feito o menor convite. O curador não-curado pode ser arrogante, egoísta, descuidado e mesmo desonesto. Ele pode não estar interessado na cura como sua meta principal. Contudo, alguma coisa aconteceu a ele, por mais equivocada que seja a direção que possa ter escolhido. Essa ‘alguma coisa’ é suficiente. Mais cedo ou mais tarde essa ‘alguma coisa’ vai surgir e crescer; um paciente tocará o seu coração e o terapeuta lhe pedirá ajuda silenciosamente. Ele próprio achou agora um terapeuta. Pediu ao Espírito Santo que entre no relacionamento e o cure. Aceitou a Expiação para si mesmo.
Diz-se que Deus olhou para tudo o que havia criado e proclamou que era bom. Não, Ele declarou perfeito, e assim era. E como as Suas criações não mudam e duram para sempre, assim é agora. No entanto, nem um terapeuta perfeito nem um paciente perfeito podem existir. Ambos não podem deixar de ter negado a sua perfeição, pois a sua própria necessidade um do outro implica num senso de falta. Um relacionamento de pessoa para pessoa não é Um Relacionamento. Contudo, é o meio de retornar; o caminho que Deus escolheu para o retorno de Seu filho. Nesse estranho sonho uma estranha correção tem que entrar, pois só isso é o chamado para o despertar. E o que mais deveria ser a terapia? Acorda e fica contente, pois todos os teus pecados foram perdoados. Essa é a única mensagem que quaisquer duas pessoas jamais deveriam dar uma à outra.

Alguma coisa boa tem que vir de todos os encontros de paciente e terapeuta. E essa coisa boa é guardada para ambos, para o dia em que possam reconhecer que só isso era real em seu relacionamento. Naquele momento o que é bom é devolvido a eles, abençoado pelo Espírito Santo como uma dádiva de seu Criador, como um sinal de Seu Amor. Pois o relacionamento terapêutico tem que vir a ser como o relacionamento do Pai e do Filho. Não há nenhum outro, pois não há nada mais. Os terapeutas desse mundo não esperam esse resultado, e muitos de seus pacientes não seriam capazes de aceitar a sua ajuda se o esperassem. Contudo, nenhum terapeuta realmente determina a meta dos relacionamentos dos quais faz parte. A sua compreensão começa reconhecendo isso, e depois segue adiante a partir daí.

É no instante que o terapeuta esquece de julgar o paciente que a cura ocorre. Em alguns relacionamentos esse ponto nunca é atingido, apesar de que tanto o paciente quanto o terapeuta possam ter mudado seus sonhos no processo. No entanto, não será o mesmo sonho para ambos, e assim não é o sonho do perdão no qual ambos algum dia irão despertar. O que é bom é guardado; de fato, é valorizado. Mas apenas se ganhou um pouco de tempo. Os novos sonhos irão perder o seu apelo temporário e virão a ser sonhos de medo, que é o conteúdo de todos os sonhos. Todavia, nenhum paciente pode aceitar mais do que está pronto para receber, e nenhum terapeuta pode oferecer mais do que acredita que tem. E assim há um lugar para todos os relacionamentos nesse mundo, e eles trarão tanto bem quanto cada um puder aceitar e usar.

Contudo, quando o julgamento cessa acontece a cura porque só então pode ser compreendido que não há nenhum hierarquia de dificuldades na cura. Essa é um compreensão necessária para o curador curado. Ele aprendeu que não é mais difícil despertar um irmão de um sonho do que de outro. Nenhum terapeuta profissional pode manter essa compreensão em sua mente de modo consistente, oferecendo-a a todos os que vêm a ele. Há alguns nesse mundo que chegaram muito perto, mas não aceitaram a dádiva inteiramente para ficar e deixar que a sua compreensão permanecesse sobre a terra até o fim dos tempos. Dificilmente poderiam ser chamados de terapeutas profissionais. Eles são os Santos de Deus. Eles são os Salvadores do mundo. A sua imagem permanece porque escolheram que seja assim. Eles tomam o lugar de outras imagens e ajudam com sonhos benignos.

Uma vez que o terapeuta profissional tenha compreendido que as mentes são unidas, ele também pode reconhecer que a existência de uma hierarquia de dificuldades na cura é sem significado. Contudo, muito antes de chegar a isso no tempo, ele pode ir em direção a isso. Muitos instantes santos podem ser seus ao longo do caminho. Uma meta marca o fim de uma jornada, não o começo, e à medida que cada meta é atingida, outra pode ser vagamente vista na sua frente. Muitos terapeutas profissionais ainda estão bem no começo do estágio inicial da primeira jornada. Mesmo aqueles que começaram a compreender o que têm que fazer ainda podem se opor a dar a partida. Todavia, todas as leis da cura podem pertencer a eles em apenas um instante. A jornada não é longa exceto em sonhos.

O terapeuta profissional tem uma vantagem que pode economizar muito tempo se for usada de forma apropriada. Ele escolheu uma estrada na qual há grande tentação de usar o seu papel equivocadamente. Isso o capacita a passar por muitos obstáculos à paz bem rapidamente, se ele escapar à tentação de assumir uma função que não lhe foi dada. Para compreender que há nenhuma hierarquia das dificuldades na cura, ele também tem que reconhecer a igualdade entre ele mesmo e o paciente. Não há nenhum meio termo nisso. Ou eles são iguais ou não. As tentativas dos terapeutas de barganhar a esse respeito são, de fato, estranhas. Alguns utilizam o relacionamento meramente para colecionar corpos que os adorem no seu santuário, e isso eles consideram que seja cura. Muitos pacientes também consideram esse estranho procedimento como salvação. Contudo, a cada encontro há Alguém que diz: “Meu irmão, escolhe outra vez.”

Não te esqueças que qualquer forma de especialismo tem que ser defendida e o será. O terapeuta sem defesas tem a força de Deus consigo, mas o terapeuta defensivo perdeu de vista a fonte da sua salvação. Ele não vê e ele não ouve. Como, então, ele pode ensinar? Porque é Vontade de Deus que ele tome o seu lugar no plano para a salvação. Porque é Vontade de Deus que o seu paciente seja ajudado a se unir a ele ali. Porque a sua incapacidade de ver e ouvir não limita o Espírito Santo de forma alguma. Exceto no tempo. No tempo pode haver um grande intervalo entre o oferecimento e a aceitação da cura. Esse é o véu que cobre a face do Cristo. Contudo, ele não pode deixar de ser uma ilusão porque o tempo não existe e a Vontade de Deus sempre foi exatamente como é.

<<--    -->>

PSICOTERAPIA - Propósito, Processo e Prática

 


http://www.awakening-mind.org (English)

You are welcome to share the ideas found here. If you would like to participate
in distributing these materials, please contact us. We love to hear from you.

Política de Privacidade